top of page

Sobrepeso e Obesidade: mais saúde e qualidade de vida na perda de peso


O emagrecimento é um dos termos mais buscados no Google. Mais do que simplesmente perder peso, é importante que este processo aconteça de maneira saudável.


Desta forma, os resultados serão mais consistentes, sem o indesejado “efeito sanfona” e sem comprometer a sua saúde.


É importante lembrar que a perda de peso tem como principal objetivo a prevenção do sobrepeso e da obesidade, melhora da qualidade de vida e saúde global do indivíduo. A obesidade é uma doença crônica, progressiva, relacionada a fatores como sedentarismo e hábitos alimentares e a condições como fatores genéticos, hereditários, psicológicos, culturais e étnicos.


Atualmente, a obesidade é considerada uma epidemia mundial, em grande parte pela dificuldade do tratamento. O tratamento de pacientes com sobrepeso ou obesidade envolve mudanças no estilo de vida, alimentação, prática regular de atividade física e, em alguns casos, intervenções psicológicas, tratamento medicamentoso e até mesmo cirúrgico.


No caso das mudanças na alimentação, a dieta recomendada para o tratamento da obesidade deverá contribuir não apenas para a redução do peso, mas principalmente para a manutenção da saúde do indivíduo em diversos aspectos, prevenindo também doenças que estão diretamente relacionadas, como diabetes, hipertensão arterial, doença cardíaca isquêmica, alguns tipos de câncer, entre várias outras.


Principais causas


A principal causa alimentar associada à obesidade observada nas últimas décadas no Brasil, de acordo com a Associação Brasileira de Estudos sobre a Obesidade (Abeso), tem sido o aumento do consumo calórico, sobretudo associado a produtos ultraprocessados.


Os alimentos ultraprocessados são aqueles que contêm ingredientes como xarope de milho, gorduras hidrogenadas e adição de aditivos com o objetivo de torná-los mais atrativos, realçando artificialmente seu sabor ou seu aspecto. Estes produtos frequentemente trazem alto teor de açúcares, gorduras e sódio (sal).


O consumo excessivo de alimentos ultraprocessados está associado não apenas ao sobrepeso e obesidade, mas também à síndrome metabólica, dislipidemia e mortalidade por diversas causas relacionadas à obesidade.


Além do consumo de ultraprocessados, estão associados à obesidade o baixo consumo de fibras e vegetais, ou seja, um cardápio com poucas frutas, hortaliças e grãos, e o sedentarismo.


Mudança de hábitos


Para que o tratamento da obesidade seja eficiente e duradouro é preciso focar em qualidade de vida. Alimentar-se de forma saudável, respeitando hábitos culturais, estilo de vida, preferências e possibilidades individuais, é fundamental tanto para a perda de peso, como para facilitar a aderência ao tratamento.


Dietas restritivas, promessas de perda rápida de peso ou de difícil seguimento estão associadas a maior desistência no médio e longo prazo, podendo levar ao reganho de peso.


O tratamento comprovadamente eficaz engloba mudança de estilo de vida, com prática regular de atividade física e hábito alimentar saudável. Com relação à alimentação, não há perda de peso se não houver déficit calórico, ou seja, é preciso consumir menos calorias do que se gasta.


Existem, atualmente, diferentes tipos de dietas e padrões alimentares que poderão ser adotados, cada qual com as suas especificidades. Cabe ao paciente, junto do médico que acompanha o seu tratamento, além de demais profissionais envolvidos, definirem aquela que melhor se adequa.


Passo a passo


O primeiro passo no processo da perda de peso é entender as causas do sobrepeso ou da obesidade. Com o acompanhamento de um médico endocrinologista e o auxílio de exames complementares, serão identificadas possíveis causas e os pontos que devem ser trabalhados para que a perda de peso aconteça de maneira saudável. Este acompanhamento é importante para que doenças como hipotireoidismo, diabetes ou depressão sejam descartadas ou, caso confirmadas, tratadas adequadamente.


Nesta consulta, o especialista auxiliará a traçar objetivos realistas, dentro do seu alcance, e as mudanças que poderão ocorrer no dia a dia para que a perda de peso aconteça de maneira saudável e progressiva.


A prática de atividade física regular, alimentação balanceada, controle de outras questões de saúde e uma atenção especial à saúde mental, estão entre os pontos a serem discutidos.


O processo de emagrecimento pode e deve ser acompanhado por uma equipe multidisciplinar, atendendo o paciente como um todo. Esta equipe poderá incluir nutricionista, psicólogo ou psiquiatra, educador físico e outros especialistas, conforme cada caso.


Este trabalho conjunto, envolvendo diversas áreas e, em muitos casos, diversos profissionais de saúde, permitirá a promoção da saúde global do indivíduo


Dicas para começar desde já


Ser saudável é estar com o peso certo para você e a melhor maneira de descobrir se você está com um peso saudável é conversar com um médico especialista. A partir daí, caso seja necessário fazer algum ajuste, serão definidas metas realistas. Mas algumas dicas simples já podem ser adotadas e facilitarão o processo. Confira:


Faça disso uma questão familiar: alimentação saudável vale para todos e não apenas para quem precisa perder peso. Se a família inteira participar e se alimentar de maneira saudável, será muito mais fácil e gostoso poder partilhar dos momentos das refeições, com opções que sejam adequadas a todos


Cuidado com as bebidas: refrigerantes, sucos e diversas outras bebidas ingeridas todos os dias incluem uma quantidade muito grande de calorias. Eliminar da rotina uma lata de refrigerante ou bebida esportiva pode reduzir 150 calorias ou mais por dia. Procure tomar mais água para matar a sede e fique longe de sucos e refrigerantes açucarados.


Comece aos poucos: mudanças drásticas tendem a ser mais difíceis e menos duradouras. Ao invés de abolir do cardápio, reduza. Aos poucos, você estará pronto para realizar outras mudanças e introduzir alimentos mais saudáveis, assim como atividade física em sua vida


Ouça o seu organismo: preste atenção enquanto come e pare quando estiver confortavelmente cheio. Comer mais devagar pode ajudar, pois levamos cerca de 20 minutos para que nosso cérebro receba a mensagem de que estamos satisfeitos. Às vezes, uma pausa antes de se servir novamente pode ser suficiente para evitar comer em excesso


Não coma chateado ou entediado: encontre outra coisa para fazer, como uma caminhada ao redor do quarteirão ou uma ida à academia são boas alternativas. Manter um diário do que come, quando e o que está sentindo também pode ser interessante, pois fará pensar duas vezes antes de comer. Também será possível identificar a relação entre as emoções e o que estamos comendo.


Programe refeições e lanches regulares: é mais fácil gerenciar a fome com uma programação previsível, enquanto pular refeições pode levar a comer demais na próxima refeição.

Comments


bottom of page