top of page

Colesterol e Triglicérides: o que são e porquê ficar de olho


Sem provocar sintomas, as gorduras do sangue podem trazer repercussões sérias se mantidas em desequilíbrio. Entenda como agem no organismo e saiba como controlar


Os triglicérides e o colesterol são gorduras existentes naturalmente no sangue e que exercem papel importante no metabolismo do nosso organismo.


Enquanto o colesterol é fundamental na formação de alguns hormônios, os triglicérides auxiliam no armazenamento da energia obtida a partir dos alimentos.


Para o Dr. Daniel Lerario, clínico geral e endocrinologista, mestre e doutor pela Escola Paulista de Medicina, quando alteradas, em excesso, estas gorduras passam a se depositar nas artérias, reduzindo a capacidade de fluxo de sangue.

“Esse processo não provoca nenhum sintoma inicialmente, porém representa um fator de risco importante para doenças cardiovasculares graves, como angina, infarto ou acidente vascular cerebral (AVC)”, explica.


O colesterol


Este composto químico integra a membrana celular do organismo, sendo sintetizado especialmente no fígado. Em seguida, é transportado no sangue por proteínas especiais, as lipoproteínas.


Segundo o Dr. Daniel, existem diferentes tipos de colesterol: os principais são o LDL e o HDL.


“O LDL-colesterol está associado ao risco de desenvolver a doença coronariana, por isso é popularmente conhecido como “colesterol ruim”. Já o HDL é conhecido como “colesterol bom”, pois atua removendo o colesterol das paredes das artérias e levando de volta ao fígado. Quanto maior sua concentração no sangue, maior será a proteção contra o excesso de colesterol e, consequentemente, contra as doenças que poderão decorrer destas alterações”.


O controle do colesterol


Os problemas no controle do colesterol acontecem, em geral, após os 45 anos nos homens, e 55 anos nas mulheres. O risco é ainda maior quando associado ao tabagismo, hipertensão arterial, diabetes, obesidade e histórico de doença coronariana na família.


Por este motivo, desde cedo o Dr. Daniel orienta que a dosagem dos níveis de colesterol no sangue deve fazer parte dos exames de check up periódicos.

“Quanto antes o desequilíbrio for detectado, melhor. Nos casos em que ajustes na alimentação e prática de atividade física regular não forem suficientes, medicamentos poderão ser indicados pelo médico para o controle do colesterol”.


Alimentação e colesterol


Os principais alimentos relacionados ao aumento das taxas de colesterol são as gorduras saturadas, encontradas especialmente em alimentos de origem animal, como as carnes, queijos, leite integral e derivados e nos produtos industrializados.


Com efeito contrário, ou seja, benéfico para auxiliar o controle do colesterol, estão as gorduras insaturadas e poli-insaturadas, presentes em óleos vegetais, como óleos de oliva e canola, azeitonas, em grãos como castanha do Pará, amêndoas, macadâmia, nozes e castanha de caju, sementes de linhaça e chia, no coco, abacate e em alguns peixes, como o salmão. Vale lembrar que o efeito protetor é obtido com pequenas quantidades destes alimentos, portanto nada de exageros.


Triglicérides


Os triglicerídeos, ou triglicérides, são a principal gordura originária da alimentação, mas podem ser sintetizados pelo organismo. Assim como o colesterol, altos níveis de triglicerídeos podem levar à maior ocorrência de doença coronariana.


Em geral, o especialista explica que este desequilíbrio está associado à alta ingestão de gorduras, doces, carboidratos e bebidas alcoólicas.


“Aqui também a primeira orientação será manter uma alimentação equilibrada e praticar atividade física regular. Caso estas medidas não sejam suficientes para manter os níveis adequados, ou não sejam seguidas pelo paciente, medicamentos poderão ser indicados para evitar o processo de deposição de gorduras na parede das artérias e o consequente aumento do risco de doenças cardíacas”.


Níveis ideais de colesterol e triglicérides


Somente um médico especialista, após avaliar o paciente, seus exames e com conhecimento de seu histórico familiar, poderá determinar os níveis ideais para cada paciente. Embora haja valores pré-determinados padrões, é preciso levar em conta o risco de cada paciente, alerta o Dr. Daniel:


“Conforme a idade, e havendo a existência de doenças como hipertensão arterial, diabetes, obesidade, por exemplo, os níveis para o paciente poderão ser menores do que a média indicada para a população em geral. Por este motivo, é importante realizar exames para avaliar o colesterol e triglicérides, bem como levar os resultados para a avaliação de um médico”, alerta.

Comments


bottom of page